da filosofia à ficção, retratando a realidade
comentar
publicado por santissimatrindade, em 24.07.08 às 19:56link do post | favorito

 


Uma influência ainda presente

Em 2007 somos confrontados com Control, um filme Anton Corbijn baseado na autobiografia de Deborah Curtis, onde nos é apresentado o perfil de Ian Curtis desde o inicio da banda até ao seu suicídio, filme notável e com uma fotografia de fazer o queixo cair.

Nesse mesmo ano Grant Gee, já com experiencia a trabalhar com bandas como Radiohead  (Radiohead: Meeting People Is Easy) e Blur (Tender),  realiza Joy Division o documentário .

A Longa faz uma abordagem cronológica e profunda da banda de Manchester, diferente da que tivemos em Control (em vez de se centrar apenas no vocalista). Narrado e baseado em depoimentos dos elementos da própria banda e de outras pessoas que foram próximas ou conviveram com da banda e Ian Curtis, tais como produtores, fotógrafos, Jornalistas, designers etc. Deparamo-nos com um conjunto de informação que nos ajuda a perceber melhor o universo de Joy Division, desde a escolha e mudança enigmática de nome, até envolvência da música e estilo que criaram, como também o penetrar inquietante da força das suas letras e da análise progressiva gráfica das capas de Lps e álbuns. É também contada a visão, e maneira como a banda lidou com a morte de Ian e se reinventou, formando os New Order. Finaliza com um roteiro ao sítios onde a banda actuou e fez historia na cidade de Manchester, mostrando o antes e o depois.

Um documentário inicialmente dirigido a fãs da banda, mas que vai deixar curioso todo aquele que goste de musica, e de penetrar um pouco no passado para entender o presente.

Não Percam esta pérola.

 

tags: ,
o meu ego está:

mais sobre mim
Julho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

15
16
18
19

20
21
22
23
25

28
29
30
31


pesquisar no santissima
 
blogs SAPO